.posts recentes

. Outro blog

. Anjos

. Regresso

. Máscaras e Mesquinhez

. Parábola da Rosa

. Mais uma vez - A Amizade!

. Tio

. Romantismo

. Blog

. Carlos Paredes

.arquivos

. Março 2005

. Outubro 2004

. Setembro 2004

. Agosto 2004

. Julho 2004

. Junho 2004

. Maio 2004

. Abril 2004

. Março 2004

. Fevereiro 2004

Domingo, 29 de Fevereiro de 2004
Mar

ondas2.jpg


Novamente e mais uma vez, relembro
talvez sonhe
nunca soube a diferença.
a morte, a minha
a escuridão e o silêncio
silêncio até deste mar, que pensara ser meu
esse mar que sempre tive como outro
afinal não sabendo, me deixa aqui
à espera, fitando-o, esquecendo
Esse falso profeta, que prometera a vasta imensidão
Pensara eu ser especial
Mas muitos antes de mim a conheceram
Ingenuamente deixara-me cair nas
mentiras desse, que vai e vem
Apenas influenciado por essa luz maldita
que se esconde, quando preciso mais
E qual ciúme vejo-te aproximar
enquanto sonho com essa que está no céu
Em plena arrogância se mostra
a tudo e a todos
Vem

A tua grandeza já fora tocada
quão inseguro é o ser humano
duvida, esquece e ignora, até os seus sonhos
quão estúpido foi esse que ousou tocar-te
e não morrer por ti, citar uma frase e ninguém mais esquecer
Esse que pisou o mundo que pensara ser meu
pois tantas vezes lá estivera antes
em sonhos ou recordações, não importa
nem que sejam apenas ilusões
Já não consigo lembrar, apenas me resta tudo esquecer
Não consigo vislumbrar, só sombras me rodeiam
Não posso sonhar, nem tão pouco recordar
Não posso dormir, apenas me resta morrer
Já estás a meus pés, não me movo

Apesar de saber que são mentiras, desejo-te
Afinal metade desta vida são mentiras...
o resto são ilusões
Desejo que nada fique,
ninguém recordado sem importância
Afinal quem te recorre
são apenas embriagados ou mal amados
e esses são apenas os restos de uma soma
eterna e sem fim
Em silêncio aceito a tua decisão, que afinal foi minha
Absorvo todo o mundo à minha volta
vou levar tudo o que puder
Afinal não cá voltarei
e partir de alma vazia seria um desperdício

Contemplo a minha cúmplice que te traz até mim
Verdade seja dita,
não virias por vontade própria
Não te irias chatear por apenas mais um espírito
ou um corpo demente
Na minha loucura tento encontrar uma razão
não consigo
Na verdade, não tento
Será porque não quero relembrar
Seria para apenas aproveitar o momento
Afinal não importa

Decidira esquecer para não sofrer
Decidira cair para não sentir
Cedo não conseguirei escrever
melhor
serei egoísta, conservarei tudo o que sentir
Irei tornar-me parte de um mundo
que não escolhi
mas que me fora escolhido
Serei um escravo de ti, lua
Vaguearei segundo a tua vontade
Peço que me leves para as profundezas de ti, mar
Para não mais ser encontrado
afinal
nem por mim o fora,
porquê deixar os outros

O silêncio quebra-se
ou apenas estarei eu mais atento
já posso ouvir o teu canto
O brilho dessa que está por cima de nós
já nos ilumina
Não precisava de mais
Só mais um passo me separa
desse abismo
para me tornar num
inteiro
ou apenas nada

Vacilo
olho para trás
avisto a sombra de alguém a correr na minha direcção
Palavras inaudíveis atravessam-me
Não ficarei
Não sei de quem se trata, já não importa
Esta foi a minha decisão
Quer tu gostes...
Quer não...

                              Enviado pelo meu amigo IceBlackIce
                              (28/02/2004)
                              "The one you thought you knew
                              Became the one you would never imagine"



 

publicado por Anjo do Sol às 20:17
link do post | comentar | ver comentários (6) | favorito
|
Sábado, 28 de Fevereiro de 2004
Caminho
Vou vagueando na noite... em busca de algo que perdi... com o passar do tempo, com o passar dos anos...
E os pés vão-se arrastando, por caminhos sinuosos...
Sem saber para onde vou...
Ou quando chegarei ao fim dessa estrada...
Talvez eu lá encontre... aquilo que tenho procurado toda a minha vida...
Ou, quem sabe... nunca poderei sentir que esse sonho se realizou...
Hoje foi mais um dia em que dei mais um passo...
De olhos postos no horizonte... em busca... de algo...</p>
publicado por Anjo do Sol às 22:46
link do post | comentar | ver comentários (10) | favorito
|
Ser criança


"Jamais deixes de ser criança...

Nunca deixes de sentir, gostar, ver

e extasiar-te diante de coisas tão grandiosas

como o ar, o voo e os sons

da luz do Sol dentro de ti.

Se achares preferível, usa uma máscara

para proteger a criança do mundo.

Mas lembra-te que no dia em que permitires

que essa criança dentro de ti desapareça,

terás crescido e já não estarás vivo."

Richard Bach

publicado por Anjo do Sol às 17:50
link do post | comentar | ver comentários (10) | favorito
|
Sexta-feira, 27 de Fevereiro de 2004
Versos Perdidos

Peguei numa folha de papel
Para te dedicar um poema
Senti um gosto a fel
Por não encontrar um tema

Quando para mim caminhas
Sinto o Universo colorir
Tocas o meu rosto e me acarinhas
Todo o meu ser fica a sorrir

Na noite se solta a tua alma
De dia abro o meu coração
Enquanto viajas com toda a calma
Eu sonho com o toque da tua mão

Com o dia a chegar ao fim
Aproxima-se a minha ausência
Quando a noite terminar para ti
Iniciar-se-á a minha permanência

Voei nas asas do vento
Em busca do teu olhar
Mas parei por um momento
E fiquei presa naquele lugar

Numa floresta verdejante
Um passarinho me sussurrou
Se seguires para diante
Encontrarás o que não ficou

Como dois navios em mar alto
Também nós nos cruzamos
Por momentos e em sobressalto
Apenas vemos o que sonhamos

Iluminas a minha manhã
Neste dia cinzento
Teus versos são meu talismã
Tuas palavras meu tormento

Viajei pela noite à tua procura
Mudaste o rumo do teu caminho
Sinto nos lábios esta secura
De quem não teve o teu carinho

Soltaste o meu nome num grito murmurado
Deixei vaguear o pensamento p'ra te responder
Com palavras escritas em pranto derramado
Com sussurros mudos de bem querer

Tantos caminhos percorridos
Tantos sonhos encontrados
Alguns estão já esquecidos
Outros ainda não estão sonhados

Nasci, cresci, vivi e morri
Mudei o rumo da minha vida
Neste percurso por ti me perdi
Saberei encontrar a saída?

publicado por Anjo do Sol às 22:31
link do post | comentar | ver comentários (11) | favorito
|
Vamos dançar este tango?


Confesso!
Adoro dançar e quase todo o género de música, mas o tango apaixona-me e hoje apetece-me ouvir e deixar a minha imaginação voar...
Estou algures no meio de uma sala e sou levada pelo meu par ao compasso de um tango argentino. Dança que simboliza paixão, muita sensualidade...

O tango é um dos ritmos mais bonitos e sensuais de todas as danças e está entre os preferidos por dançarinos de todo o mundo. Apesar de actualmente ser conhecido como o ritmo característico da Argentina, a origem do tango está na África. Os negros escravos levados de lá para a América Central, levaram consigo seus principais costumes, dentre os quais uma dança denominada Tangano. Com a migração desses negros para o sul, o Tangano foi levado para a região do Rio da Prata, tornando-se muito popular entre as pessoas da zona portuária. Por volta do século XIX, o Tangano se desenvolveu no que ficou conhecido como o Tango Argentino.
Não deixem de ligar o som para poderem ouvir o ritmo do tango


 

publicado por Anjo do Sol às 00:16
link do post | comentar | ver comentários (8) | favorito
|
Quinta-feira, 26 de Fevereiro de 2004
Abraço...

Imagem de Boris Vallejo


Um abraço cálido.


Sensualidade que se sente na pele.


Calor que emana dos corpos.


Paixão que desliza em suor.


Fogo que arde em cada toque,


Em cada roçar de pele,


Em cada olhar,


Em cada beijo.


 

publicado por Anjo do Sol às 22:47
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
|
Quarta-feira, 25 de Fevereiro de 2004
Sines


Planeei para ontem, um dia de descanso apenas com um passeio à beira mar, tomar qualquer coisa numa esplanada e apreciar a paisagem e o sol que apareceu ontem... Pois... esses eram os meus planos, mas nada saiu como planeei... Levaram-me a passear bem mais longe e eu que, até já nem dou muita importância a esta época festiva, lá me vi transportada para Sines, um dos pontos fortes do Carnaval em Portugal. Diga-se de passagem que já vi outros Carnavais em Sines e, este desapontou-me um pouco, pelo reduzido número de carros e participantes. Ah... é verdade! A fotografia que está em cima é do Carnaval de 2001, cedida por FOTOSINES, a outra fotografia é da Avenida Vasco da Gama onde passou o corso este ano, ao contrário dos anos anteriores que era em pleno centro.
O temporal que se fez sentir no passado fim de semana não permitiu que o corso percorresse a avenida na 2ª feira à noite o que, segundo dizem, é mais encantador que de dia, nem no Domingo à tarde. Restou aos participantes o dia de ontem para aproveitarem e brincar ao Carnaval, tentando transformar um dia de diversão em 3 dias que poderiam ter aproveitado. Mas, de uma forma inovadora e, também para poderem realizar as receitas necessárias para que o prejuízo não seja demasiado elevado, resolveu a organização prolongar o Carnaval por mais um fim de semana. Por isso, quem quiser aproveitar, se a chuva não pregar outra partida, poderá ver estes foliões no próximo Sábado à noite ou Domingo à tarde a desfilar mais uma vez pela avenida.
Eu por cá vou ficar porque, para Carnaval bastou um dia. Só desejo que, no próximo ano Sines volte a mostrar o seu Carnaval de há anos atrás, cheio de glamour e novidades.

publicado por Anjo do Sol às 20:09
link do post | comentar | ver comentários (18) | favorito
|
Segunda-feira, 23 de Fevereiro de 2004
Divagações

A luz ergue-se majestosa e leva-me de olhos fechados para um mundo longínquo de palavras e sonhos... Abro as asas e ergo-me do alto daquela montanha, planando num voo desvairado e perdido, em busca do meu eu escondido... Sinto que o Universo se abre em dois... e agora? Para que lado sigo?
Cerro os olhos e, numa busca incessante, olho para dentro de mim... não, esta não sou eu... e a dúvida cresce... a paz desaparece... uma batalha se trava dentro do meu peito e faz-me mergulhar na escuridão do inexplicável...
De repente... um som me faz parar neste voo incessante... um som suave... repetitivo... silêncio de novo... será da minha imaginação?... Não... não é imaginação... é uma voz dentro de mim que me grita: «liberta-te»... «solta as amarras do tempo»...
Luto... e nesta luta... não sei se venço... se perco... mas... perder o quê?... vencer o quê?...
Este caos interior que me faz agitar... é a minha luz no fundo do túnel... aquela que me faz vibrar e me faz avançar num tempo perdido... perdido no meio de sonhos e cor... no meio de realidades e de dor...
Ergo-me de novo, do meio desta confusão de pensamentos...
Vejo ao longe a saída desta espiral... e, arrastada pelo vento... saio de encontro à luz que me chama... mas... que é isto que me impede de continuar a deixar vaguear o meu pensamento?...
Acordo! Era um sonho... um sonho estranho... uma divagação... um caos interior...
O medo do caos faz com que me vire para o outro lado... para a sombra...
Tento adormecer de novo... analisar este caos interior que me invade o peito...
Onde me leva este rio de águas turvas e mornas, que me faz mergulhar sem destino na ânsia de encontrar as mais límpidas e cristalinas águas?... Por momentos, quero deixar-me levar sem pensar onde irei parar... Mas, não posso... Se o permitir... este rio levar-me-á a um oceano imenso onde me posso perder... não... isso não pode ser... a imensidão do mar assusta pela sua enormidade... mas atrai... pela sua beleza... pela sua liberdade... pela sua força...
E... de novo... a voz dentro de mim... num sussurro... que me sopra ao ouvido... «é chegada a hora de te libertares»...
Ganho forças... e solto-me da corrente... a corrente que me quer levar em direcção ao desconhecido... sento-me na margem do rio e observo o seu curso... não sem algum arrependimento... o que seria o desconhecido?... hesito... e neste emaranhado de emoções, de hesitações... entre o vai e o fica... está este meu eu contraditório... mas consigo vencê-lo... por agora...
Ao sentir a brisa que me toca o corpo... sorrio... levanto o rosto para o Sol... abro de novo as asas... e lanço-me, mais uma vez, num voo em busca... em busca de quê?... nem eu sei...
Do alto do meu voo... por entre as nuvens que por mim passam, vislumbro um lago calmo, rodeado da mais bela planície que alguma vez me foi permitido ver...
Desço os Céus e pouso à beira daquele lago espelhado...
Em meu redor... as flores crescem a cada segundo... numa velocidade vertiginosa...
E a luz do dia cede o seu lugar à escuridão da noite... a Lua surge no horizonte...
Ao olhar em volta descubro uma árvore pequenina... que estende os seus ainda pequenos braços, com pequenas folhagens a despertar... Encosto-me ao seu tronco... e fechando os olhos, adormeço, embalada pelo som suave das flores a crescer...
«- Acorda! Chegaste ao teu destino!»
Quero abrir os olhos, mas não consigo... faço um esforço... e abro-os...
Para meu espanto, sinto o meu corpo envolvido nos braços da pequenina árvore, num abraço protector, a qual se transformou num enorme salgueiro, durante a noite...
Lentamente... os seus braços se abrem... permitindo que me erga...
Mas... onde está a planície do dia anterior?... Olho em volta... e vejo agora uma floresta cerrada... onde nem a luz do Sol consegue penetrar...
Trim...trim...
Abro os olhos. Não, não pode ser. O mesmo sonho que retorna todas as noites para me atormentar...
Mas, que significará este estranho mundo que me rodeia neste sonho, nesta fantasia?... Já nem sei se é fantasia, se realidade, mas... agora nem é hora de pensar em tal. Mais um dia que amanhece, mais um dia de labuta neste mundo louco, de loucos...
E a noite chega... Pego naquele livro que me tem olhado, da minha mesa de cabeceira: há meses que o tento ler sem grande resultado... desde que os sonhos começaram... ou pesadelos... Sento-me no sofá, começo a folhear o livro... Ah! Cá está! Foi aqui que parei da última vez...
A pouco e pouco esqueço o universo em que me encontro e vou-me embrenhando, mais e mais, na leitura... e as imagens, das palavras que ansiosamente devoro, começam a invadir a minha mente...
... Sou eu quem ali está... junto daquela árvore, mas... ao lado, encontra-se também algo... ou alguém, multicolor... que será?!...
Aproximo-me para ver, não sem algum receio do que não vejo... do que não entendo... receio intercalado com aquela atracção que me faz avançar mais um pouco... só mais um pouco...
...parece... uma criança... não, já não é... é uma flor... e agora... uma pequena árvore em crescimento...
Mas... que será isto?...
...Espalha a sua beleza... a sua luminosidade... rodopia... oferece-me um sorriso... estende-me o seu braço... sim... é um braço... de novo, a criança sorri à minha frente... o seu pequeno punho fechado, abre-se... e, na pequena palma da mão, está algo que brilha... fecho os olhos, fiquei ofuscada subitamente... estendo a mão... e...
...e o sonho termina...
...e surge a dura realidade... vou dormir...

publicado por Anjo do Sol às 21:36
link do post | comentar | ver comentários (15) | favorito
|
Acordar - Viver

Como acordar sem sofrimento?
Recomeçar sem horror?
O sono transportou-me
àquele reino onde não existe vida
e eu quedo inerte sem paixão.
Como repetir, dia seguinte após dia seguinte,
a fábula inconclusa,
suportar a semelhança das coisas ásperas
de amanhã com as coisas ásperas de hoje?


Como proteger-me das feridas
que rasga em mim o acontecimento,
qualquer acontecimento
que lembra a Terra e sua púrpura
demente?
E mais aquela ferida que me inflijo
a cada hora, algoz
do inocente que não sou?


Ninguém responde, a vida é pétrea.


*Carlos Drummond de Andrade*

publicado por Anjo do Sol às 11:19
link do post | comentar | ver comentários (11) | favorito
|
Domingo, 22 de Fevereiro de 2004
Campanha Adopte Uma Atitude
Logo_eu_adoptei.gif Está em curso uma campanha de sensibilização sobre a adopção de crianças. As dificuldades sentidas nos processos de adopção permanecem. Tantas crianças a necessitar de um lar e o sistema português, de eterna burocracia, vai tornando a espera cada vez maior para que essas crianças possam ter uma família que as ame, que lhe dê o seu carinho.
Saibam mais sobre esta campanha no Blog
[Error: Irreparable invalid markup ('<a [...] <>') in entry. Owner must fix manually. Raw contents below.]

<IMG height=150 alt=Logo_eu_adoptei.gif src="http://mywords.blogs.sapo.pt/arquivo/Logo_eu_adoptei.gif" width=96 border=0> <FONT color=#800000>Está em curso uma campanha de sensibilização sobre a adopção de crianças. As dificuldades sentidas nos processos de adopção permanecem. Tantas crianças a necessitar de um lar e o sistema português, de eterna burocracia, vai tornando a espera cada vez maior para que essas crianças possam ter uma família que as ame, que lhe dê o seu carinho.<BR>Saibam mais sobre esta campanha no Blog </FONT><A href="http://eu-adoptei.weblog.com.pt/arquivo/040615.html" a <><FONT color=#800000><I><U><B>Eu-adoptei</B></U></I></FONT></A><FONT color=#800000>   e divulguem-na da melhor forma que possam. As crianças à espera de um lar, agradecem-vos.</FONT>
publicado por Anjo do Sol às 22:25
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
|
.mais sobre mim
.pesquisar
 
.Março 2005
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
blogs SAPO
.subscrever feeds