.posts recentes

. Outro blog

. Anjos

. Regresso

. Máscaras e Mesquinhez

. Parábola da Rosa

. Mais uma vez - A Amizade!

. Tio

. Romantismo

. Blog

. Carlos Paredes

.arquivos

. Março 2005

. Outubro 2004

. Setembro 2004

. Agosto 2004

. Julho 2004

. Junho 2004

. Maio 2004

. Abril 2004

. Março 2004

. Fevereiro 2004

Domingo, 29 de Fevereiro de 2004
Mar

ondas2.jpg


Novamente e mais uma vez, relembro
talvez sonhe
nunca soube a diferença.
a morte, a minha
a escuridão e o silêncio
silêncio até deste mar, que pensara ser meu
esse mar que sempre tive como outro
afinal não sabendo, me deixa aqui
à espera, fitando-o, esquecendo
Esse falso profeta, que prometera a vasta imensidão
Pensara eu ser especial
Mas muitos antes de mim a conheceram
Ingenuamente deixara-me cair nas
mentiras desse, que vai e vem
Apenas influenciado por essa luz maldita
que se esconde, quando preciso mais
E qual ciúme vejo-te aproximar
enquanto sonho com essa que está no céu
Em plena arrogância se mostra
a tudo e a todos
Vem

A tua grandeza já fora tocada
quão inseguro é o ser humano
duvida, esquece e ignora, até os seus sonhos
quão estúpido foi esse que ousou tocar-te
e não morrer por ti, citar uma frase e ninguém mais esquecer
Esse que pisou o mundo que pensara ser meu
pois tantas vezes lá estivera antes
em sonhos ou recordações, não importa
nem que sejam apenas ilusões
Já não consigo lembrar, apenas me resta tudo esquecer
Não consigo vislumbrar, só sombras me rodeiam
Não posso sonhar, nem tão pouco recordar
Não posso dormir, apenas me resta morrer
Já estás a meus pés, não me movo

Apesar de saber que são mentiras, desejo-te
Afinal metade desta vida são mentiras...
o resto são ilusões
Desejo que nada fique,
ninguém recordado sem importância
Afinal quem te recorre
são apenas embriagados ou mal amados
e esses são apenas os restos de uma soma
eterna e sem fim
Em silêncio aceito a tua decisão, que afinal foi minha
Absorvo todo o mundo à minha volta
vou levar tudo o que puder
Afinal não cá voltarei
e partir de alma vazia seria um desperdício

Contemplo a minha cúmplice que te traz até mim
Verdade seja dita,
não virias por vontade própria
Não te irias chatear por apenas mais um espírito
ou um corpo demente
Na minha loucura tento encontrar uma razão
não consigo
Na verdade, não tento
Será porque não quero relembrar
Seria para apenas aproveitar o momento
Afinal não importa

Decidira esquecer para não sofrer
Decidira cair para não sentir
Cedo não conseguirei escrever
melhor
serei egoísta, conservarei tudo o que sentir
Irei tornar-me parte de um mundo
que não escolhi
mas que me fora escolhido
Serei um escravo de ti, lua
Vaguearei segundo a tua vontade
Peço que me leves para as profundezas de ti, mar
Para não mais ser encontrado
afinal
nem por mim o fora,
porquê deixar os outros

O silêncio quebra-se
ou apenas estarei eu mais atento
já posso ouvir o teu canto
O brilho dessa que está por cima de nós
já nos ilumina
Não precisava de mais
Só mais um passo me separa
desse abismo
para me tornar num
inteiro
ou apenas nada

Vacilo
olho para trás
avisto a sombra de alguém a correr na minha direcção
Palavras inaudíveis atravessam-me
Não ficarei
Não sei de quem se trata, já não importa
Esta foi a minha decisão
Quer tu gostes...
Quer não...

                              Enviado pelo meu amigo IceBlackIce
                              (28/02/2004)
                              "The one you thought you knew
                              Became the one you would never imagine"



 

publicado por Anjo do Sol às 20:17
link do post | comentar | favorito
|
6 comentários:
De Anónimo a 1 de Março de 2004 às 21:15
Obrigado sofia...li mts koisas k gostei no teu blog :D, ganhaste um novo visitante :pIceBlackIce
</a>
(mailto:blackice@megamail.pt)
De Anónimo a 29 de Fevereiro de 2004 às 23:01
parabens aos dois, ati ke ajudaste a ler umas palavras lindas ao teu amigo que soube dize-las.
obrigada aos dois....beijitosofia
(http://semsentido.blogs.sapo.pt)
(mailto:scamuflada@sapo.pt)
De Anónimo a 29 de Fevereiro de 2004 às 21:13
;) *
Behind_Words
</a>
(mailto:NoEmail@netcabo.pt)
De Anónimo a 29 de Fevereiro de 2004 às 21:00
Obrigado :D , mas como alguém chamado encandescente disse num poema: O que importa não é o poeta...o importante é a criação.

Queria deixar aqui os meus agradecimentos a alguém muito especial, que os seus poemas me inspiraram uma ou outra linha, tu sabes quem és :pIceBlackIce
</a>
(mailto:blackice@megamail.pt)
De Anónimo a 29 de Fevereiro de 2004 às 20:42
Eu também quero aqui deixar os parabéns ao meu amigo Ice, por este poema cheio de significados, cheio de sentimento, de emoção. Continua a escrever assim, amigo Ice. Bjinho

---->AcasoDasLetras: Espero que eles nos traga mais poemas como este. Pelo menos, tentarei que ele partilhe conosco. Bjinho e obrigada.Anjo Do Sol
(http://mywords.blogs.sapo.pt)
(mailto:anjodosol@sapo.pt)
De Anónimo a 29 de Fevereiro de 2004 às 20:29
Parabéns ao teu amigo Poeta por se ter feito poema. Parabéns a ti, porque o recebeste e o partilhaste connosco.
Sabes?!- até as prosas podem ser poesias.- Apenas temos de saber interpretar os silêncios, de onde elas são originárias.
BjsAcasoDasLetras
(http://LetrasAoAcaso.blogs.sapo.pt)
(mailto:manintherisingsun@hotmail.com)

Comentar post

.mais sobre mim
.pesquisar
 
.Março 2005
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
blogs SAPO
.subscrever feeds